Um projeto Menu

Círculo da Inovação

“As muletas para o êxito” de um empreendedor

Rute Barbedo

O troféu que distingue o Empreendedor do Ano pela criatividade, inovação ou impacto global da sua acção para a sociedade

Obsessão e audácia estão na base do sucesso, acredita Carlos Moreira da Silva, o Empreendedor do Ano de 2009

Carlos Moreira da Silva, da BA Glass, foi nomeado Empreendedor do Ano em 2009 pela EY e, na altura, não percebeu bem como. “Foi uma grande surpresa, porque não somos uma empresa cotada e não temos glamour junto do mercado”, confessa, oito anos depois da distinção.

A empresa especializada em vidro e embalagem está hoje presente em sete países, distribui embalagens de vidro em mais de 80 destinos e produz mais de oito biliões de garrafas por ano, mas tem uma história longa como pano de fundo. Começa em 1912, com a constituição da sociedade Barbosa e Almeida, com um “capital de três contos de reis”, e vai até à atualidade, um tempo em que “funciona toda em inglês” e assume uma visão distante de uma linguagem material – Wrap Dreams Beyond Packaging (Embrulhar Sonhos para Lá da Embalagem, em tradução livre).

Para Carlos Moreira da Silva, que foi CEO do grupo (a idade limite para assumir esta função são os 52 anos, e já iremos perceber porquê), não há um vetor para o êxito, mas vários. “É necessário ter os valores da empresa muito claros, saber-se por que se está ali”, afirma. Por outro lado, “é preciso ser obcecado pela excelência, por querer fazer melhor todos os dias. E nós somos obcecados pelo benchmarking”, assume o empresário. Depois, questões como a rentabilidade, a capacidade de desenvolver processos de decisão rápidos, medir regularmente a satisfação dos clientes e a dos colaboradores, bem como conseguir interpretar e antecipar tendências marcam a qualidade da liderança e gestão de qualquer empresa, acredita.

Curiosamente, a idade máxima com que se pode ser CEO do grupo BA é de 52 anos. “Aos 52 tem de sair. Aconteceu-me a mim”, relata o empreendedor. É-se inábil para lá dos 50? Longe disso. Mas “a energia e a capacidade de romper com o status quo” será bastante mais provável numa pessoa mais nova e, num negócio, as oportunidades não se podem perder.

Entrepreneur Of The Year