Um projeto Menu

Círculo da Inovação

A grande diferença entre empreendedorismo social e voluntariado está na Terra dos Sonhos

Frederico Fezas Vital

Chief Executive Dreamer Terra dos Sonhos

Trabalho em Rede

A grande diferença entre empreendedorismo social e voluntariado está na Terra dos Sonhos

Ana Maria Pimentel

Frederico Fezas Vital mudou a vida pelos sorrisos dele, principalmente deles, dos outros. Trabalha para concretizar os sonhos de crianças doentes, ambiciona ter uma rede de Unidade de Cuidados Intensivos de Felicidade pelo país

Um homem pode ter tudo o que a maioria deseja e sentir que não tem nada. Em 2006, Frederico Fezas Vital era um advogado de sucesso, já tinha tido empresas, já tinha trabalhado no BCP, tinha, portanto, o que muitos sonham. Mas a satisfação de Francisco não passava pela remuneração, “tinha que criar valor”. Havia qualquer coisa que vinha de dentro, do sítio onde os sonhos são feitos e as vontades fabricadas que não lhe permitia continuar assim, “tinha que dar de volta à sociedade”.

É desta forma que nasce a Terra dos Sonhos, associação que já realizou 600 sonhos de crianças em estado avançado de doença, desde 2008. Como se não fosse suficiente, como se fosse pouco e tendo a felicidade como meta, em 2015 nasce a Unidade de Cuidados Intensivos de Felicidade, a primeira unidade de saúde emocional em Portugal. Ali trabalha-se com otimismo, tenta dar-se às crianças, aos familiares e aos pais os mecanismos que às vezes falham em casos de doença.

Frederico diz que tem sido "muito automotivado" desde que começou a fazer o que hoje faz e ainda não se falava em empreendedorismo social. Hoje sabe que é isso que comanda a vida dele, numa IPSS, Instituição Particular de Solidariedade Social, à qual dedica boa parte do seu tempo, ele que também é director executivo da Bolsa de Empreendedorismo, iniciativa de apoio e promoção ao empreendedorismo que a UE desenvolve em Portugal. Estar nesta área é estar "preparado para tudo, para ser investidor e voluntário".

Para ele trabalho é prazer, sente que é gratificante "provar que não há impossíveis". Com a ajuda de marcas e empresas tem diariamente a "consciência que está a dar o melhor, a ajudar sem criar serviços ou produtos, mas sim a mudar vidas". Porque a vida é isso mesmo, "um conjunto de problemas que se tem que resolver, de uma ou de outra forma, por isso mais vale que seja com um sorriso na cara."

Sem querer fala com os tiques de um conselheiro de vida, passados oito anos de Terra dos Sonhos. Já passou a pasta da direção, diz ser mais útil na orientação estratégica do projeto. Acredita que um dia vão sair de Lisboa para estar em todos os hospitais e escolas.

UMA IDEIA

“O poder de uma ideia vem normalmente da sua simplicidade. É ela que provoca o chamado efeito ‘uau’. As minhas são simples e fáceis: Portugal ser o primeiro país do mundo a ter uma legislação completa sobre empresas sociais; ser o primeiro país com uma unidade de saúde emocional em cada hospital e em cada escola; criar uma moeda própria para dinamizar a economia social”

UM DESAFIO

“Na Terra dos Sonhos começámos por actuar na saúde emocional do nosso público-alvo (crianças com doenças crónicas graves e crianças em risco), através de uma atividade que causava grande impacto na saúde mental e emocional das famílias no curto prazo, mas que, no médio e longo prazo, não nos dava garantias de deixar as ferramentas que são fundamentais para a gestão do nosso bem-estar psicológico e emocional no médio e longo prazo – a realização dos sonhos mais ‘impossíveis’ dessas crianças. Com a criação do modelo da UCIF (Unidade de Cuidados Intensivos de Felicidade), procurámos ir mais longe, desenhando um programa de saúde emocional que, no tempo, acompanhe as famílias trabalhando quatro pilares do seu bem-estar a este nível: gestão das emoções, autoestima, comunicação positiva e aceitação da mudança. Com esta evolução, não apenas estamos a oferecer mais valor ao nosso público-alvo, que passa a ser capacitado com ferramentas para gerir a sua própria saúde emocional e bem-estar, como a própria Terra dos Sonhos gera mais valor, pois passa a prestar um serviço que pode ser colocado no mercado para outros públicos, gerando receita que contribui significativamente para a sua sustentabilidade”

Trabalho em Rede

Ver mais