Um projeto Menu

Círculo da Inovação

Do Porto para Inglaterra, de Inglaterra para o mundo

Miguel Santo Amaro

CEO Uniplaces

Digitalização

Do Porto para Inglaterra, de Inglaterra para o mundo

Ana Maria Pimentel

Miguel Santo Amaro fundou a Uniplaces em 2011. O início da empresa cruzou-se com o seu crescimento, uma viagem que remonta a 1989 e a países como Bangladesh, Quénia, Boston, França e China

É um dos fundadores da Uniplaces, a empresa de arrendamentos para estudantes que já dispensa apresentações. O nome de Miguel também já se confunde com o da empresa e já são raras as vezes que se fala de empreendedorismo português sem o referir.

Para chegar onde chegou ajuda o facto de os pais terem privilegiado a sua educação. Mais tarde foram preponderantes as experiências internacionais. Por miúdos: apesar de manter o sotaque nortenho na boca, desde muito jovem foi exposto a um percurso internacional, num colégio do género nos 18 anos que viveu no Porto. Tornou-se assim natural estar no meio do multiculturalismo. Aprendeu a viver de forma bilingue trocando o português pelo inglês com especial facilidade. Aos estudos, os pais faziam questão que juntasse actividades. Entre elas esteve o teatro, a música e o desporto. Na altura de escolher a faculdade foi Nottingham que falou mais alto, fazendo com que ao longo da vida tivesse “menor aversão ao risco e à mudança”.

Depois antes de decidir o que fazer da vida, enquanto recém- licenciado, houve um verão passado no Bangladesh, num estágio, a perceber de perto o microcrédito. Antes o objetivo era trazê-lo para Portugal, depois percebeu que o modelo ainda não estava pronto para ser exportado. A curiosidade e a resiliência ainda o fizeram subir o Kilimanjaro, e já bastante embrenhado em projetos sociais ajudou a construir uma aldeia no Quénia.

Depois de todas estas experiências, o mundo da consultoria ficou posto de parte para continuar os estudos em Boston. MBA concluído segue para França e depois foi estagiar para a China. Ainda bem que o fez, dirão os estudantes que já arrendaram casas na Uniplaces. Foi na Ásia que se começa a desenhar a startup, com o inglês Ben e o argentino Mariano. Em 2011, numa altura em que a Internet era “radicalmente diferente”, e a “Europa estrategicamente era muito apelativa”, “o mundo começa a ser tecnológico”, muito tecnológico. Depois de muita pesquisa, “de aprender muito, muito rápido” a Uniplaces começa a formar-se à frente deles “o mercado era abrangente, interessante e complexo”.

Digitalização

Ver mais