Um projeto Menu

Círculo da Inovação

Gerir as florestas com uma visão para lá dos montes

Miguel Silveira

Administração Altri Florestal

Criar Valor

Gerir as florestas com uma visão para lá dos montes

Ana Maria Pimentel

O menino que passou a infância na montanha sabia que era ali que queria fazer a sua vida, cresceu e a floresta é a sua vida, na verdade, Miguel Silveira nunca deixou de o ser

As paisagens e as experiências da juventude levaram-no até à Engenharia Florestal. No final do curso um estágio curricular fez com que passasse um ano na Suécia. Foi aí que o modo de pensar a natureza e o profissionalismo começou a ganhar os contornos que o trouxeram hoje à administração da Altri Florestal. De regresso a Portugal e depois do primeiro impacto no mercado de trabalho torna-se consultor florestal na Aflop.

Quase 20 anos depois diz que essa experiência foi também “impactante na abordagem dos negócios e da consultoria”. Se a floresta e a natureza o conquistaram em criança, é nesta altura que a gestão se lhe insinua. Muito do que sabia tinha sido aprendido de forma empírica, mas chegava de fazer “um upgrade na gestão”. Não subiu um nível na gestão, fez um sprint escadas acima e no final do MBA apercebeu-se que “não tinha noção do quanto precisava daquilo”.

Trouxe de lá muitas técnicas e mecanismos que aplica todos os dias, muitas já lá estavam outras só precisavam de ser apontadas e um número igual das que aprendeu de raiz. No cômputo geral diz ser necessário ter-se, acima de tudo, “boa relação com as pessoas, prestar-se atenção à abordagem, ter poder de encaixe” e, claro, “visão a longo prazo”. Há uma pergunta que o acompanha todos os dias, e que vai fazendo a si próprio e aqueles que trabalham consigo: “Como posso inovar?”

As áreas em que divide a sua vida – floresta e gestão – são antagónicas. Na gestão as consequências quase que podem ser sentidas ao segundo, na floresta são precisos muitos anos e vencer muitas adversidades para se verem as consequências. A única maneira de conciliar as duas é “mantendo a motivação dos técnicos”. Diz ser um bom motivador, na Altriflorestal “arranja processos” e “para pensar. Porque se não se parar para pensar não surgem ideias inovadoras”.

UMA IDEIA

“O país beneficiaria de várias resoluções. Na área da floresta, por exemplo, seria muito benéfico um simplex para o investimento na floresta. Facilitando a gestão florestal agrupada e consequentemente um aumento das produtividades”

UM DESAFIO

“Existe sempre possibilidade de subir na cadeia de valor, um dos meios é certamente apostar na inovação em todos os processos na cadeia de valor, procurando otimizá-los e tornar a empresa mais eficiente”

Criar Valor

Ver mais