Um projeto Menu

Círculo da Inovação

Vender drogas online nunca foi tão popular

Tiago Oliveira

Christopher Furlong

Atualmente, existem cerca de 50 mercados online para vender drogas ilícitas

O mercado de venda de drogsas ilícitas na internet tem aproveitado como poucos as oportunidades do digital e triplicou as vendas desde 2013

Até nos meandros ilegais da sociedade a digitalização assume um papel de preponderância e o comércio de estupefacientes não é imune ao processo. Um estudo conduzido em conjunto pela Universidade de Manchester (Reino Unido) e pela de Montreal (Canadá) aponta para um aumento exponencial das vendas a partir de plataformas cada vez mais sofisticadas.

Os lucros da venda de heroína, cocaína e marijuana duplicaram desde 2013, data em que um dos principais espaços de venda na Deep Web (o espaço da internet que não está indexado aos motores de busca padrão), o Silk Road, foi encerrado pelo FBI.

Conhecido como o "Amazon do narcotráfico", a plataforma tinha uma dimensão avaliada pouco mais de €1,1 mil milhões, tinha ratings para os vendedores e garantias de devolução do dinheiro. O seu fundador, Ross Ulbricht está desde 2015 em prisão perpétua sem direito a liberdade condicional.

Não tardou a haver uma multiplicação de herdeiros, que ajudaram a que as vendas aumentassem três vezes de volume. "Atualmente, existem cerca de 50 mercados online onde vendedores e compradores se encontram de forma anónima para vender drogas ilícitas, medicamentos sem receita, entre outros serviços", cita o "CNet".

Caso para dizer que as oportunidades proporcionados pelo digital estão mesmo em todo o lado.

Digitalização