Um projeto Menu

Círculo da Inovação

“Estão convidados a vir a Belém no final”

Tiago Oliveira

Tiago Miranda

No evento que marcou o arranque do Círculo de Inovação, o projeto desenvolvido por Expresso, SIC Notícias e NOS que junta 100 gestores que fazem mexer o país, o presidente da República realçou a importância desta sinergia e deixou um convite para os selecionados irem visitá-lo no final. "Para aprender com vocês"

Foi com o habitual entusiasmo que o presidente da República saudou os participantes no evento que deu o pontapé de saída ao Círculo de Inovação. "É um dos grandes desafios deste país", disse, perante o auditório atento da sala D. João VI no Palácio da Ajuda.

Num espaço com história em cada canto e esquina, coube ao chairman do grupo Impresa introduzir Marcelo Rebelo de Sousa. Uma amizade que vem desde a altura em que Francisco Pinto Balsemão conheceu o "jovem licenciado a quem se juntoou na loucura que foi criar o Expresso " Não admira por isso que considere a loucura como uma palavra i"mportante quando se fala de inovação."

Marcelo Rebelo de Sousa realçou como este círculo "é apenas um caminho para o processo longo de tortuoso que se avizinha." Por isso a visão deve ser consistente e o primeiro paso a definir. "Só depois vêm os objetivos em função dela", afirmou. É importante que assim seja, quando estamos inseridos numa "Europa que todos os dias nos coloca desafios novos."

Tiago Miranda

A internacionalização de Portugal como "uma plataforma entre culturas e continentes" deve continuar para que as empresas tenham mais hipóteses de sucesso. Há que trabalhar para ultrapassar "o envelhecimento do país e não ter o complexo "de assumir que os objetivos" podem ser móveis. Pede-se "flexibilidade mental para perceber que a realidade mudou."

Aos 100 escolhidos (selecionados pela Jason com idades entre os 25 e os 45 anos) deixou um pedido: "sejam loucos!" É algo essencial quando os objetivos "não são números, mas pessoas." Para o final, reservou um convite aos selecionados para irem a Belém quando o projeto terminar. "Sentados", de preferência e para os ouvir. Para dar um empurrão "à mudança."

A disrupção esteve no centro dos discursos desde o arranque. O CEO da Impresa, Francisco Pedro Balsemão, lembrou que a inovação está desde sempre enquadrada na estratégia e no ADN da empresa, enquanto o CEO da NOS, Miguel Almeida, deixou vincada a sua crença que a novação é um instrumento essencial para atravessar o mar de oportunidades que o mundo oferece. Para seguir nos próximos meses.

Círculo da Inovação